Numa roda de conversa sobre Autoestima, organizada por mim e outras três colegas psicólogas, tivemos a contribuição de uma das pessoas presentes ter compartilhado sobre a dificuldade na infância, para lidar com “brincadeiras”, pelo fato de usar óculos.

No decorrer do relato, me veio a minha experiência, em comparativo com a dela. E posso dizer que tenho boas lembranças, não pelo fato de não terem surgido “brincadeiras”, mas, porque criei em torno do usar óculos, uma conotação positiva, relacionava com inteligência, intelectualidade. Então, não me ative às possíveis críticas recebidas.

O ideal seria que não precisássemos vivenciar esse tipo de situação, ou seja, que os adultos fornecessem melhores exemplos as crianças, de respeito às diferenças, daí provavelmente teríamos  uma sociedade mais respeitosa. Mas, infelizmente, esse tipo de postura não será totalmente extinguida, porque ela se refere a uma das formas existenciais de se lidar com as inseguranças, onde o inseguro escolhe alguém, de preferência, que represente alguma ameaça a ele, para tentar fazê-lo sentir uma insatisfação, maior que a dele.

Diante disso, como podemos nos manter blindados das possíveis repreensões à nossa imagem. Exemplificando, com a minha experiência, eu entendia o óculos como algo importante pra mim e que conferia algo que eu valorizava, então, eu tinha o antídoto necessário para não me contaminar com as visões depreciativas dos outros. Agora, o meu cabelo volumoso, que eu, por acontecimentos anteriores, tinha associado negativamente a uma inadequação, a mínima insinuação era suficiente para incitar o meu desconforto.

Então, ao indício de qualquer incômodo dessa natureza, atente-se aos significados atribuídos, por si ou resultantes de determinadas situações, e, sendo necessário, invista na desconstrução e ressignificação deles ou em atualizá-los. Depois disso, ninguém vai conseguir, com que você sinta, o que não existe nem faz sentido, dentro de você.

Obs: Não se trata de explanações sobre situações de bullying, racismo nem abuso moral, pois, nesses casos, combatemos com denúncias e repreensões aos ofensores. E, quanto ao meu cabelo, eu fiz as pazes com ele, hoje, simboliza força e presença. 💁🏻

2 comentários sobre “Tem algum problema com o meu óculos?

  1. Eu nunca gostei dos meus óculos, me incomodava para jogar bola com os garotos e o fato de ter miopia não facilitava a minha vida, era obrigatório usá-los até ter idade suficiente para a cirurgia, que fiz e me livrei deles.
    Sempre fui rotulada de ‘menina prodígio’ ou algo do tipo e os benditos só ajudava a aumentar a distância entre e os demais seres mirins. rs
    Me lembro que na formatura do nono ano, uma colega se aproximou para me cumprimentar e disse que durante todo o tempo do colégio teve medo de mim, de dizer a coisa errada, de não ter assunto. Nos abraçamos e somos amigas até hoje.
    Mas eu não ligava exatamente para os outros, apenas não gostava da minha cara de panda. rs

    bacio

    Curtido por 1 pessoa

    1. Obrigada pelo seu relato, Lunna Guedes!
      A vida é mesmo feita de fases, que bom que passam e que também mudamos. rs
      E os relacionamentos nos colocam em cada desafio! Fiquei feliz em saber do desenrolar da sua amizade com a colega de escola. 🙂
      Um abraço

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s