Mais uma das frases marcantes no consultório, acompanhada de um certo desespero da autora, no sentido de “eu deixei de ser quem eu era”, sem derivar de uma mudança lapidada por si, mas coagida pelas circunstâncias e intromissões de outros.

Isso é tão desanimador, há como se realizar não sendo quem se é. Podemos ser aceitos e amados, mas nessas condições, não será por quem somos. Essa falácia será que preenche. Dependendo do contexto, pode ser uma das formas de sobrevivência encontrada, porém, vendo outras possibilidades ou se retirando desses meios condicionantes, será que não vale a pena arriscar.

Percebo pessoas em plenitude com o que mais repreendiam no outro ou descobrindo habilidades que jamais se viam capazes, quando conseguem se desvincilhar das doutrinações recebidas, críticas alheias e suas auto repreensões.

Convivendo, atualmente, com a minha sobrinha caçula, que tem 3 anos de idade, identifico mais claramente o quanto nós adultos, do círculo de contato dela, podemos interferir em seu processo de identidade. Ela nos observa, pergunta, repete, mas também transgride, que bom! Sempre se anima quando nós a apresentamos a algo novo, mas ela também tem muito a nos desvelar. São nítidas as mudanças que já promoveu em nossa dinâmica familiar, tem o seu jeitinho único de ser, super carinhosa, ao mesmo tempo, sabe bem o que quer. Como é divino descobri-la, Amélie!

WhatsApp Image 2017-10-04 at 11.01.35Amélie, seja quem você veio para ser, dê abertura ao que você carrega dentro de si e eu estarei, com certeza, na platéia, de olhos bem abertos e ouvidos bem atentos, contemplando o seu desabrochar e a sua alegria de viver. Eu me despeço das minhas expectativas e tentativas de correspondê-la aos meus desejos.

Seja, Amélie! Seja, você mesma!

E quando precisar de mim, estarei aqui.

4 comentários sobre ““Eu me perdi de mim”

  1. Acho tão delicada essa questão, minha cara. Ser quem somos, ás vezes, é uma ofenda ao outro. Já me perguntaram algumas vezes ‘como consegue ser assim?” e eu sorri sem dizer palavras. Apenas observei o ser ‘sem identidade certa’ a minha frente. Nem sempre as pessoas sabem quem são e nem sempre sabemos o que somos, quem somos no olhar de quem nos observa. É complicado. Várias vezes eu me surpreendo com os comentários que fazem sobre mim e eu penso ‘quem será essa criatura?’. rs
    Enfim, que a pequena Amelie consiga se construir da melhor maneira possível

    bacio

    Curtido por 1 pessoa

  2. O caminho da construção pessoal é sinuoso, a gente se perde em muitos trechos, recebemos informações que nos levam pra longe de nós. Encontrar o nosso caminho de volta é um desafio. Que a linda Amelie percorra o caminho dela com tranquilidade e segurança mantendo, o máximo possível, de sua essência.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Não tem mesmo como evitarmos o ir e vir nesse caminho, faz parte, desde que não nos abandonemos por completo.
      Gracias, Cleane, Amélie também agradece!
      Um abraço.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s